Performance e o ensino de física - aproximações imprevistas

Nome do palestrante: 
Prof. Dr. Leonardo Crochik (IFSP)
Resumo: 
O termo performance adquire relevância ao questionar a dualidade entre representação e acontecimento. Nesse sentido, em um livro de 1962, o filósofo da linguagem John Austin discute a performatividade da linguagem ao analisar enunciados do tipo “Declaro-os marido e mulher”, que, ao invés de possuírem uma função representativa, produzem um acontecimento. Por seu lado, o filósofo da ciência Robert Crease (1993) compreende a experimentação científica como performance, criticando, dessa forma, concepções que reduzem o experimento à representação de seus resultados e valorizando a importância do acontecimento de um experimento, discutindo as relações entre a representação teórica, a apresentação experimental e o reconhecimento de um fenômeno. Também a presença do corpo revela-se fundamental e já não podemos nos restringir mais a um plano simbólico de representação, suposto (falsamente) imaterial. Corporeidades às vezes inassimiláveis, irrepresentáveis, aparecem e transformam nossas formas de viver e representar a vida. Neste seminário, procurarei discutir, com alguns exemplos, perspectivas e possibilidades de compreensão performativa no ensino de física, valorizando o acontecimento do encontro presente entre corpos no ambiente escolar.
Data: 
terça-feira, 17 Abril, 2018 - 16:00
Local: 
Auditório Adma Jafet