Trujillo - Lima - São Paulo: a rota acadêmica do peruano Alejandro Lopez

Por Andrea Wirkus

Alejandro Heyner Lopez é natural de Trujillo, uma cidade ao norte do Peru, com aproximadamente um milhão de habitantes. Ao finalizar a graduação em Física pela Universidad Nacional de Ingenieria (UNI), em Lima, Alejandro decidiu seguir com uma especialização em Física Médica, dessa vez no Instituto de Física da USP. "Tive a opção de continuar a especialização em Lima, mas resolvi me mudar novamente e escolhi a USP, não por acaso. Ela está no topo do ranking das melhores universidades da América Latina, o que significa que tem uma pós-graduação mais bem estruturada do que as universidades peruanas".
Desde a graduação, Alejandro tinha contato com o trabalho do Prof. Paulo Roberto Costa, pesquisador com amplos conhecimentos nas áreas de Física de Radiodiagnóstico e Proteção Radiológica. Isso o incentivou a ingressar no Mestrado, para além dos amigos peruanos que já faziam pós-graduação aqui e recomendaram o IFUSP. "Minha chegada ao Brasil foi ótima, porque já tinha conhecidos no Instituto e eles me ajudaram nos primeiros dias. Além disso, o pessoal que integra o Grupo de Dosimetria das Radiações e Física Médica me recebeu muito bem!".
Durante o Mestrado, Alejandro realizou um "estudo experimental das relações entre Kerma no ar e a grandeza operacional Equivalente de Dose Ambiente". A pesquisa, ligada à área de Proteção Radiológica, foi desenvolvida por meio da medição da fluência espectral de feixes de raios-x secundários transmitidos através de materiais utilizados em salas radiológicas. "O resultado do meu trabalho de Mestrado foi apresentado em Toronto (Canadá) durante o Congresso Mundial de Física Médica e também está para ser publicado no Journal of Radiological Protection".
Concluído o Mestrado, Alejandro optou por continuar no IF e ingressou no Doutorado, ainda sob orientação do Prof. Paulo Costa e dentro do mesmo grupo de pesquisa. "A decisão de continuar no IFUSP deveu-se ao fato de eu já conhecer a metodologia de trabalho do Paulo, coisa que acredito ser importante para a eficiência do desenvolvimento do projeto de pesquisa. Também o ambiente de colaboração do Grupo de Dosimetria, dos professores e pós-graduandos, me incentivou, além da bolsa de estudos que consegui junto à CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear)". 
Alejandro diz ter se adaptado fácil ao cotidiano de São Paulo, o clima daqui é parecido com o de sua cidade natal. "Gosto muito do jeito alegre do brasileiro". 

 



Acima, algumas fotos do acervo pessoal do Alejandro que, durante sua estadia no Brasil, teve a oportunidade de viajar e conhecer as cidades de Salvador e Rio de Janeiro.