Fissão

Fissão é um processo nuclear no qual um núcleo muito pesado se divide em dois núcleos menores. Um exemplo de reação de fissão, que foi utilizada nas primeiras bombas nucleares e que ainde é utilizada nos reatores nucleares é:

235U + n ----> 134Xe + 100Sr + 2n

 

Os produtos mostrados na equação acima são somente uma das muitas combinações possíves na fissão do 235U. Reações de fissão podem produzir qualquer combinação de núcleos mais leves, desde que o número de prótons e o de nêutrons nos produtos seja igual àquele na situação inicial. Assim como na fusão, uma enorme quantidade de energia pode ser liberada na fissão, pois para núcleos pesados, a soma das massas dos produtos da reação é menor que a massa dos constituintes de antes da fissão.
A fissão ocorre porque a repulsão eletrostatica criada pelo grande número de prótons contida nos núcleos pesados. Dois núcleos menores têm menor repulsão eletrostática interna que um único e maior núcleo. Desse modo, se a força de repulsão ficar maior que forte força nuclear que mantem o núcleo coeso, ele fissiona. Fissão pode ser vista como um cabo de guerra, tendo de um lado as forças fortes e atrativas (força nuclear) e do outro a força repulsiva eletrostatica. Na reação de fissão, as forças repulsivas eletrostáticas ganham.
Fissão é um processo que vem ocorrendo no universo há bilhões de anos. Como mensionado acima, temos não somente utilizado a fissão para produzir bombas nucleares, mas também a usamos pacificamente todos os dias para produzir energia em usinas termo-nucleares. É interessante notar que embora o primeiro reator construido pelo homem tenha aparecido somente a cerca de 50 anos, a Terra operou um reator natural de fissão em um depósito de urânio na Africa do Sul, há cerca de 2 bilhões de anos.