Meia-Vida

O tempo necessário para que metade dos átomos em uma amostra de um isótopo radiativo decaia é chamado meia-vida do isótopo. Por exemplo, a meia-vida do 238U é 4,5 bilhões de anos. Isto é, daqui a 4,5 bilhões de anos, metade da quantidade de 238U na Terra terá decaido em outros elementos. Em mais 4,5 bilhões de anos, a metade do que sobrou também terá decaido, de modo que um quarto da quantidade hoje existente, restará na Terra daqui a 9 bilhões de anos. A meia-vida do 14C é de 5730 anos, sendo por isso este isótopo adequado na datação de materiais biológicos que viveram há milhares de anos. As meias-vidas nucleares variam desde uma pequena fração de segundo até várias dezenas de bilhões de anos.