Plano de Metas do Departamento de Física Experimental

1. Descreva qual é a missão do Departamento, ou seja, quais as expectativas e solicitações da sociedade a que ele deve atender?

Formação de pessoal qualificado em Física, com conhecimento atual e capacidade crítica, que saiba manter-se à frente do conhecimento da sua época e criar soluções para os problemas que envolvam o domínio desta ciência.
Geração de conhecimento científico e tecnológico inovador nas áreas de atuação do departamento.
Promoção de ações que intensifiquem a inserção da Universidade na sociedade, por meio de projetos de formação de professores e educação científica e tecnológica.

2. Relacione, a exemplo dos objetivos e metas da Gestão Reitoral, os principais objetivos e metas de médio e longo prazos (5 e 10 anos) do Departamento. Recomendamos que sejam agrupados por atividade-fim.

GERAIS
Desenvolver e consolidar as áreas de pesquisa já estabelecidas, buscando uma maior interação entre os vários grupos.
Instituir e intensificar as cooperações e intercâmbios nacionais e internacionais, tornando mais disponíveis nossas facilidades de pesquisa.
Aprimorar a formação de graduandos e pós-graduandos, tanto no curso de Bacharelado quanto no de Licenciatura.
Promover medidas que viabilizem a implementação de cursos em áreas de física aplicada, de forma a responder às demandas da sociedade na formação de pessoal qualificado em áreas interdisciplinares.
ESPECÍFICOS
Prover a infra-estrutura necessária ao funcionamento, manutenção e expansão da rede de computação que atende o Departamento.
Expandir e manter atualizadas as facilidades experimentais, em particular completar o projeto Microtron e colocar em operação o acelerador de forma a disseminar as atividades de pesquisa em física nuclear com sondas eletromagnéticas.
Aperfeiçoar as atividades tanto de divulgação científica para alunos do ensino médio e fundamental, quanto na formação continuada dos professores de Física.

3. Comente as ações propostas para alcançar estes objetivos e metas.

Realizar periodicamente Simpósios do Departamento, para discussão, avaliação e integração dos vários grupos de pesquisa.
Incentivo às solicitações aos órgãos de fomento à pesquisa para obtenção de bolsas de estudo, financiamento de equipamento e intercâmbio de estudantes e colaboradores de outras instituições.
Propor novas disciplinas em áreas de interesse dos novos cursos de bacharelado, em particular apoiando a criação de um curso de bacharelado em ciência e tecnologia nucleares.
Incentivar o oferecimento periódico de atividades extracurriculares que visem a inserção de estudantes em programas de iniciação científica, nas áreas de pesquisa básica, aplicada e em ensino, tais como os cursos de pré-iniciação científica e os projetos do Pro-Fis.
Contratar um técnico de informática, capaz de instalar e manter softwares, orientar na aquisição de equipamento de informática e na manutenção dos computadores.
Reorganizar o corpo de funcionários e realizar programas de treinamento e reciclagem para otimizar os serviços de apoio às atividades de ensino, pesquisa e extensão.

4. Comente a evolução acadêmica do Departamento desde a última avaliação departamental.

O Departamento conta hoje com 2 titulares, portanto 3 a menos que 5 anos atrás, 12 associados, sete a mais que na avaliação anterior, 13 professores-doutores, num total de 29 docentes ativos, dos quais 27 em RDIDP, um em RTC e um em RTP. Com respeito ao total de docentes, aposentaram-se sete, três dos quais titulares, e 4 transferiram-se para outro departamento, enquanto que apenas cinco foram contratados – o departamento perdeu quatro docentes no total.
Seis docentes aposentados mantém atividades junto ao Departamento, tem contribuido na pesquisa, ministrando aulas, orientando,etc.
Examinando-se a distribuição do corpo docente nas categorias e considerando a sua qualificação, nota-se um número de titulares abaixo do esperado.
O investimento em ensino é constante. Muitas das disciplinas de graduação ministradas foram atualizadas no período. Docentes do departamento participaram ativamente da consolidação da Licenciatura em Física e das propostas de reforma curricular.
A produção nas áreas tradicionais do departamento é cada vez mais madura e tem maior inserção internacional, enquanto nas áreas mais novas, que se sedimentaram, é excepcional.

5. "Como o Departamento se compara aos congêneres nacionais e internacionais. Faça uma análise crítica do ""estado de arte"" nas áreas em que atua."

O número de estudantes nos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Física da USP é muito maior que o de outras instituições públicas do Brasil. O número de formandos nos cursos de Física da USP – campus São Paulo – supera o de qualquer outra instituição pública por um fator na faixa 4 a 10. Como a participação do DFEP nos cursos de graduação é substantiva, seu encargo didático é significativamente maior que o dos congêneres nacionais.
A atividade de pesquisa em ensino tem relação direta com a inserção da universidade na sociedade, gerando extensão de serviços à comunidade numa escala importante, o que não é usual nos congêneres nacionais, embora haja similares no exterior.
A grande variedade de temas de pesquisa no DFEP também não é comum na estrutura de departamentos. O departamento investiga em: Física Nuclear, área tradicional pouco pesquisada no país, embora estratégica; Partículas Elementares e Raios Cósmicos, participando de estudos de fronteira nessas áreas; Matéria Condensada, cujas aplicações são cada vez mais importantes; e Ótica Quântica e Física Atômica, que vêm recebendo cada vez mais atenção no mundo todo. Em cada uma dessas áreas, o trabalho é comparável aos congêneres do mundo todo.

6 .Comente as mudanças do ambiente externo que têm exigido alteração dos padrões de atuação do Departamento.

A piora de qualidade do ensino médio tem exigido maior esforço para adequar as disciplinas básicas às habilidades reais dos ingressantes, visando manter a evasão dentro de limites toleráveis sem comprometer o nível dos cursos.
A utilização de informática no ensino vem sendo pesquisada, de maneira a aumentar sua eficiência na aprendizagem. O computador vem sendo usado em sala de aula e no apoio às atividades dos alunos e suas possibilidades pedagógicas continuarão a ser testadas amplamente.
As solicitações de formação interdisciplinar levaram à sugestão de novos cursos em Física Aplicada, que estão em debate no Instituto, e vêm reorientando os projetos de pesquisa, que passam a exibir ligações com outras áreas do conhecimento, particularmente a química, a biologia e as ciências biomédicas.
A informatização crescente gerou necessidades de suporte que ainda não foram corretamente atendidas, no que se refere a apoiar o funcionamento da rede de microcomputadores que serve os docentes e funcionários, e exige investimento material e humano.
A queda no número de docentes da Universidade foi acompanhada pela redução do corpo docente do departamento, o que vem gerando tensões na acomodação das demandas resultantes do desenvolvimento de lideranças acadêmicas.

7. Relacione as dificuldades encontradas para a elevação dos padrões acadêmicos do Departamento e o que tem sido feito para superá-las.

A falta de oportunidades para as lideranças acadêmicas ascenderem na carreira e consolidarem grupos de pesquisa tem dificultado o crescimento acadêmico. A expansão judiciosa do corpo docente é condição para a dinamização das atividades.
Além disso, as dificuldades crescentes na manutenção de uma infra-estrutura de pesquisa sofisticada, demandando técnicos de nível superior e financiamento constante, refreiam o crescimento. A busca permanente de recursos extra-orçamentários, às vezes de curto prazo, para atender necessidades que exigem financiamento estável, desgasta e toma um tempo precioso.

8. Dentro da realidade orçamentária da USP, como os Órgãos Centrais podem contribuir para a superação destas dificuldades?

Rever as carreiras técnica e administrativa, para melhorar a infra-estrutura em geral, levando em conta as necessidades de ensino (inclusive as questões sazonais e de horário de trabalho para apoio aos cursos noturnos) e de amparo à pesquisa, considerando as suas especificidades.
Facilitar o acesso dos funcionários a cursos de formação continuada.
Permitir a ampliação judiciosa do corpo docente, através da criação de novas vagas, de forma a propiciar a elevação dos padrões acadêmicos.

9. Explicite os principais indicadores que devem ser utilizados para o acompanhamento das ações, dos objetivos e metas do Departamento.

Ensino
. número de alunos nas disciplinas ministradas pelos docentes
. orientações concluídas de mestrado e doutorado
. criação, implantação, desenvolvimento e manutenção de laboratórios didáticos
. livros, capítulos de livros, apostilas, softwares e páginas web produzidas
. gerenciamento de infra-estrutura (laboratórios, computação, etc.)
. orientações em Iniciação Científica e monografias
. desenvolvimento de material didático
. artigos em revistas e participação em congressos
. auxílios conseguidos
. criação de disciplinas
. participação em bancas de exames de pós-graduação

Pesquisa
. trabalhos publicados em periódicos indexados
. trabalhos completos publicados em anais de conferências
. patentes depositadas
. criação, implantação, desenvolvimento e manutenção de laboratórios de pesquisa experimental
. auxílios (nacionais e internacionais) conseguidos
. participação no corpo editorial de periódicos indexados
. participação em comitês científicos nacionais e internacionais
. desenvolvimento de infra-estrutura para pesquisa (laboratórios, equipamentos, computação)

Extensão
As atividades de extensão, pela diversidade das atuações possíveis, são as mais difíceis de avaliar. É importante ter em mente, neste caso, que a dificuldade de quantificar o impacto de uma atividade não pode ser usado como argumento para diminuir sua importância. Alguns parâmetros são listados abaixo.
. organização e/ou participação de atividades de divulgação, formação técnico-científica, cursos e escolas de verão.
. atuação em órgãos governamentais e internacionais relacionados à educação e à pesquisa.
. formação e aprimoramento de professores da rede pública.
. livros, capítulos de livros, apostilas e páginas web de divulgação científica, vídeos, etc.
. consultoria a empresas.