Analisando os dados da COVID-19 no Brasil e na Bahia a partir de um Modelo Matemático e do Número de Reprodutibilidade associado

Data do Evento: 
21/10/2020 - 14:00

Analisando os dados da COVID-19 no Brasil e na Bahia a partir de um Modelo Matemático e do Número de Reprodutibilidade associado

Palestrante: Suani Pinho (UFBA)

Data e Local: 21/10, 4ª feira, 14h. Evento via ZOOM e YouTube. Reunião 433-672-515.


Resumo

No decorrer da história da humanidade, a população humana tem convivido com diversos microrganismos que podem vir a causar doenças transmissíveis, capazes de gerar epidemias e até pandemias. Em 2020, a população humana sofre a crise da pandemia da COVID-19, síndrome respiratória aguda, causada por um novo corona vírus denominado SARS-CoV-2, com alto índice de letalidade, cuja transmissão foi acelerada pela intensa mobilidade humana.

O rápido crescimento de casos e o espalhamento da doença em todo o mundo levou a uma ação permanente da OMS e das autoridades sanitárias nos mais diversos países, a fim de estabelecer uma política efetiva de distanciamento e isolamento social, bem como o aumento de leitos hospitalares e ventiladores, de modo a evitar o colapso dos sistemas de saúde.

Nesta direção, os pesquisadores das áreas das ciências exatas têm contribuído em duas vertentes que se interconectam: a análise dos dados das epidemias e a proposição e aplicação de modelos matemáticos. A conexão destas vertentes se dá na medida em que os dados são utilizados para validar os modelos e apresentar cenários. Um dos conceitos mais importantes para traduzir a ocorrência de um processo epidêmico é o número de reprodutibilidade, que pode ser obtido em qualquer instante do tempo, permanecendo acima da unidade enquanto a quantidade de infectados cresce no tempo.

Neste seminário, apresentaremos um modelo matemático com taxa de transmissão variável [1] e os cenários encontrados a partir deste modelo, que tem sido desenvolvidos pelo grupo de modelagem matemática da RedeCovida (https://covid19br.org/), discutido de forma interdisciplinar com os epidemiologistas da referida rede. Aplicaremos a metodologia utilizada nos infection-age models [2] ao nosso modelo de modo a obter a expressão do número de reprodutibilidade e obter suas curvas com base nos dados da Bahia, podendo ser aplicada a outros estados do Brasil. Focalizaremos nossos resultados na análise do distanciamento social, no papel do indivíduos assintomáticos, no alcance das hospitalizações e no efeito das medidas governamentais sobre a dinâmica das epidemias.

[1] Oliveira et al., Evaluating the burden of COVID-19 on hospital resources in Bahia, Brazil: A modelling-based analysis of 14.8 million individuals. medRxiv preprint (https://doi.org/10.1101/2020.05.25.20105213); submitted to Nature Communications, 2020.

[2] Nishiura, H. Chowell, G., The Effective Reproduction Number as a Prelude to Statistical Estimation of Time-Dependent Epidemic Trends. Mathematical and Statistical Estimation Approaches in Epidemiology, 103-121 (2009). (doi:10.1007/978-90-481-2313-15).

Sobre o evento

Seminário do Grupo de Física Estatística do Departamento de Física Geral do IFUSP. Para mais informações, acesse fig.if.usp.br/~harunari/seminarios/ ou entre em contato através do endereço secfge@if.usp.br.


 

Data de Término: 
21/10/2020 - 15:00