Portal da FAPESP destaca pesquisa sobre entropia

Pesquisadores brasileiros incorporam flutuações

quânticas ao conceito da entropia

05 de julho de 2017

José Tadeu Arantes | Agência FAPESP – A termodinâmica clássica nasceu, na primeira metade do século XIX, no rastro da revolução industrial, voltada para a otimização de máquinas e motores e focada no cálculo de grandezas como trabalho útil, energia dissipada e eficiência. De acordo com a segunda lei da termodinâmica, a energia mecânica pode ser completamente convertida em energia térmica, mas a energia térmica não pode ser completamente convertida em energia mecânica. Dessa assimetria, que impõe um sentido aos processos materiais e por decorrência à linha do tempo (que escoaria rumo a configurações de energia cada vez menos organizadas), surgiu, com o físico alemão Rudolf Clausius (1822 – 1888), o conceito de entropia, que se refere à parcela do calor que não pode mais ser transformada em trabalho, e, portanto, ao grau de irreversibilidade do sistema.

É possível estender os conceitos macroscópicos da termodinâmica à escala atômica ou subatômica? O que mudaria se fosse construído um motor com um único átomo? Como as leis termodinâmicas seriam afetadas pela mecânica quântica? Estas foram as cogitações que nortearam o artigo The Wigner entropy production rate, de autoria dos pesquisadores brasileiros Jader Pereira dos Santos (Universidade Federal do ABC), Gabriel Teixeira Landi (Universidade de São Paulo) e Mauro Paternostro (Queen’s University Belfast, Reino Unido), publicado, sob a rubrica “Editors' Suggestion” (“Sugestão dos Editores”), na revista Physical Review Letters.

A matéria comple pode ser lida no link abaixo:

http://agencia.fapesp.br/pesquisadores_brasileiros_incorporam_flutuacoes...

Término: 
31/07/2017