Menos de 30% das mulheres do mundo são cientistas

Discriminação e preconceito contra mulheres cientistas existem até mesmo em países como os EUA, diz a geneticista Mayana Zatz

Por: Simone Lemos, Jornal da USP. Acesse aqui a matéria original.


Dados da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – apontam que apenas 28,8% dos pesquisadores acadêmicos do mundo são mulheres. Muitas vezes, a falta de perspectiva faz com que muitas brasileiras busquem no exterior o reconhecimento por seu trabalho. No entanto, esse nem sempre pode ser o melhor caminho. Se no Brasil há dificuldades, no exterior, o preconceito e as diferenças salariais são expostos de maneira muito explícita. Saiba mais...


Imagem: Francisco Emolo/ USP Imagens