Todas as Notícias

A necessária valorização do papel das mulheres na ciência

A participação das mulheres na produção científica vem se intensificando. Descobertas e inovações de fundamental importância tiveram, ao longo da história, a marca indelével da participação feminina. Entretanto, a sociedade ainda não celebra seus nomes e testemunhamos uma elevada assimetria de oportunidades entre os gêneros

Por: Paulo Basso, Correio do Brasil. Acesse aqui a matéria original.


Recentemente, um feito notável chamou a atenção do público brasileiro para a participação feminina na ciência. O sequenciamento do novo coronavírus, realizado pelas cientistas Jaqueline de Jesus e Ester Sabino, da Universidade de São Paulo (USP), apesar de timidamente celebrado, ajudou a destacar a qualidade da produção científica que as mulheres vem desenvolvendo, apesar dos desafios inerentes de um país que não investe consistentemente no trinômio inovação, ciência e tecnologia e das barreiras que se erguem frente à mulher pesquisadora. Saiba mais...


Imagem: Reprodução

 

Trajetória das mulheres na ciência: evento destaca pesquisadoras da USP

Promovido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e pelo Escritório de Carreiras, o debate Mulheres na Ciência será transmitido pelo Canal USP

Por: Jornal da USP. Acesse aqui a matéria original.


No Dia Internacional da Mulher, a Pró-Reitoria de Pesquisa e o Escritório de Carreiras (ECar) promovem um evento dedicado a discutir a carreira das mulheres na ciência e homenagear as pesquisadoras da USP. Além de contar com a participação do reitor Vahan Agopyan e outros dirigentes da Universidade, a jornada tem uma programação com oficinas e debates, que serão realizados virtualmente e transmitidos pelo YouTube. Saiba mais...

Imagem: Arte sobrre foto/ 123RF

 

País chega a 10 milhões de infectados por covid; velocidade de contaminação dobra

Às vésperas de completar um ano do primeiro caso de covid-19, o Brasil atingiu (na) quinta-feira, 18/02, a marca de 10 milhões de infectados pelo vírus

Por: IstoÉ Dinheiro. Acesse aqui a matéria original.


(...) Quando a pandemia teve início, o distanciamento social logo foi apontado como uma estratégia para conter a disseminação do vírus. O Brasil não experimentou o lockdown, mas assistiu ao movimentos de abertura e fechamento de estabelecimentos nos países europeus. O “fique em casa” foi adotado por uns e criticado por outros ao longo do ano passado. No entanto, o isolamento social é uma ferramenta importante para evitar a propagação do vírus, inclusive as novas variantes. Só que precisa ser pensado de forma estratégica, de acordo com Airton Deppman, pesquisador e professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). Saiba mais...


Imagem: Andrea Rego Barros/ Prefeitura de Recife

 

Simpósio Mulheres, Poder e Sociedade

A Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP promove na próxima segunda-feira, 08, o simpósio "Mulheres, Poder e Sociedade"
Por: PRCEU.
Acesse aqui mais informações sobre o evento.


O simpósio Mulheres, Poder e Sociedade foi formatado para debater o papel das mulheres na sociedade contemporânea e suas contribuições nas vertentes social, política, econômica, científica, tecnológica e cultural. Assim, os participantes, por meio de diferentes exposições, experiências de vida, relatos e discussões, poderão conhecer e valorizar as diversas ações em curso pelas lideranças femininas na universidade, na ciência, na cultura, nas artes, nos movimentos sociais e no mundo do trabalho. Saiba mais...

Imagem: Divulgação

 

Ricardo Galvão e Carlos Nobre recebem o prêmio de Liberdade e Responsabilidade Científica

Ricardo Galvão, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP) e ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e Carlos Nobre, cientista sênior do Instituto de Estudos Avançados da USP, foram condecorados pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) com o prêmio de Liberdade e Responsabilidade Científica

Por: Agência FAPESP. Acesse aqui a matéria original.


Pela primeira vez a associação premiou cientistas brasileiros. Galvão foi homenageado por sua defesa aos dados do Inpe que comprovaram o aumento no desflorestamento da Amazônia. Em 2019, o professor se manteve firme quanto à sua confiança nos números, o que acabou custando a sua posição no Inpe. Nobre foi homenageado por seu trabalho de longo prazo para compreender e proteger a biodiversidade e os povos indígenas da Amazônia. Saiba mais...


Imagem: ABC/ Divulgação

 

O mundo dá voltas: por que não sentimos os movimentos da Terra?

Barbaridade, caro sentinelense, como somos insensíveis em relação aos rumos do planeta até neste sentido mais literal, tchê. E olha que estamos falando de uma esfera girando a 1.656 km/h ao redor do próprio eixo e se deslocando ao redor do Sol a uma velocidade próxima de 108 mil km/h

Por: Tiago Jokura, UOL Tilt. Acesse aqui a matéria original.


Um conhecido frequentador desta coluna, o físico Cláudio Furukawa, do Instituto de Física da USP, explica que realmente não sentimos os movimentos, mas, sim, as mudanças desses movimentos, desde que elas sejam significativas. "Se estivermos dentro de um avião voando em regime de cruzeiro, se as janelas estiverem fechadas e não ouvirmos o barulho dos motores, não saberemos distinguir se estamos parados ou em movimento e nem para que lado estamos indo", diz. Saiba mais...


Imagem: Valentin Antonucci/ Pexels

 

Aquecimento global e Floresta Amazônica

Hoje, 04, às 14h acontece o seminário "Aquecimento global e Floresta Amazônica" ministrado pelo professor Ricardo Magnus Osório Galvão (IF-USP) no canal do CBPF

Por: COLMEA-UFRJ. Acesse aqui mais informações sobre o evento.


As evidências de crescimento da taxa de aquecimento da temperatura média da Terra, alcançando cerca de 0,18◦C por década, a partir de 1970, são substanciais. Embora questionado por alguns cientistas, a grande maioria dos climatologistas atribui esse efeito ao mecanismo de Arrhenius-Callendar, baseado no aumento da emissão de gás carbônico para a atmosfera desde a revolução industrial. Uma das ferramentas mais eficazes para reduzir a concentração de CO_2 na atmosfera é através do sequestro de carbono pelas florestas tropicais, em particular pela Amazônica. Nesta palestra, após uma breve introdução sobre o aquecimento global, discutirei a questão da preservação e monitoramento da floresta Amazônica, com base em alguns trabalhos recentes publicados por cientistas brasileiros. Saiba mais...


Imagem: Marcos Santos/ USP Imagens

 

O Universo não conhecido e a Matéria Escura

O lado desconhecido do Universo é tema de palestra on-line que será apresentada hoje (04/03) pela professora Ivone Albuquerque, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP)

Por: Agência FAPESP. Acesse aqui mais informações sobre o evento.


O evento virtual integra a série “Física em Casa”, organizada pelo Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental (ICTP-SAIFR) para promover a divulgação científica no período de isolamento. No encontro de hoje, a professora discutirá sobre observações de fenômenos cosmológicos que indicam a pequena fração conhecida do Universo e falará sobre experimentos que buscam desvendar a composição da misteriosa matéria escura. Saiba mais...


Imagem: Divulgação

 

Pesquisadores do IFUSP participam de estudo internacional que demonstra variações no uso de tomografia computadorizada em pacientes da COVID.

Espaço Acadêmico - RSNA - RadioGraphics - ISSN - 1527-1323O levantamento, realizado entre maio e julho de 2020, abrange centros de tratamento nos 5 continentes.

Por: Comunicação IFUSP.  Acesse aqui o artigo.


Há uma falta de padronização sobre protocolos específicos de realização de tomografia computadorizada (CT) em pacientes com COVID-19. Estudo conduzido por colaboração de pesquisadores ligados à a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) teve como objetivo avaliar variações na utilização da tomografia computadorizada para o imageamento torácico destes pacientes. 

No escopo do levantamento estão incluídos 54 centros de saúde em 28 países, em que foram mapeados os exames de CT realizados em pacientes com COVID-19. O questionário obteve informações variadas sobre políticas específicas do uso da tomografia em pacientes com COVID, e os dados coletados incluem informações gerais do paciente, do equipamento de tomografia, protocolos de varredura e dosagem da radiação. 

A colaboração brasileira na pesquisa, coordenada por físicos do IAEA e médicos da Universidade de Harvard, consistiu na coleta de dados de pacientes que realizaram procedimentos de TC no Hospital das Clínicas. "O maior desafio do estudo foi extrair, a partir da enorme quantidade de dados, as informações mais relevantes que demonstrassem o cenário da utilização desta técnica para o diagnóstico de pacientes com COVID-19, associando as técnicas utilizadas e as doses associadas a estes procedimentos." comenta Paulo Roberto Costa, do Grupo de Dosimetria das Radiações e Física Médica do IFUSP, co-autor do artigo. Destaca também a participação da física Denise Y. Nersissian, do mesmo grupo, e da residente em Física Médica Julianna Castro. 

Verificou-se assim que o uso de tomografia computadorizada mostrou grande variação entre os locais, dentro do mesmo país e entre diferentes países. Muitos pacientes foram submetidos ao procedimento de imagem  várias vezes ou com protocolos de tomografia computadorizada multifásicos. Veja os resultados completos do estudo no artigo publicado no periódico Radiology da Radiological Society of North America.

 


Imagem: Logo revista Radiology

Quantidade X qualidade da produção científica em debate

A Sociedade Brasileira de Química promove hoje (03/03) o seminário on-line “Quantidade X qualidade da produção científica em debate”

Por: Agência FAPESP. Acesse aqui mais informações sobre o evento.


Participam do evento Luiz Eugênio Mello, diretor científico da FAPESP, e o professor Marcelo Knobel, reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O objetivo é responder à seguinte pergunta: seria melhor produzir mais artigos com menos impacto científico, econômico e social, ou um número menor de estudos, mas com maior impacto? Saiba mais...


Imagem: Divulgação

 

Páginas