Transmissão de covid-19 em São Paulo segue em alta, mas começa a desacelerar

Média de novos casos e internações voltou a crescer, porém numa escala inferior à das semanas anteriores. Vacinação e uso de máscaras continuam essenciais para estancar o avanço da pandemia
Por: Jornal da USP. Acesse aqui a matéria original.


Os dados da semana epidemiológica mais recente (5 a 11 de junho) mostram um novo aumento nos indicadores epidemiológicos da covid-19 no Estado de São Paulo — porém, já num processo de desaceleração da transmissão. As médias diárias de novos casos e internações por covid-19 aumentaram 9% e 13%, respectivamente, comparado a 29% e 45% na semana anterior. A média de mortes saltou de 29 para 60 óbitos/dia (aumento de 108%), mas especialistas ressaltam que esse aumento deve estar mais relacionado a um processo de subnotificação nas semanas anteriores do que a um aumento repentino de mortalidade. Os dados estão detalhados no Boletim Epidemiológico USP-Covid desta semana, disponível neste link. 
 
“As curvas de indicadores da pandemia em São Paulo sugerem que já há redução na velocidade de transmissão do sars-cov-2, que se reflete na redução dos porcentuais de aumento de casos e internações”, diz o professor Paulo Rossi Menezes, da Faculdade de Medicina da USP. “As projeções indicam que devemos atingir uma estabilidade dos indicadores nas próximas duas semanas, seguida de uma redução progressiva nas semanas subsequentes.” Cerca de 94% da população acima de 5 anos no Estado está com esquema vacinal completo (duas doses ou dose única), incluindo 62% das crianças com até 11 anos. É importantíssimo que todos continuem a se vacinar, incluindo a dose de reforço — que será obrigatória para acesso a todas as instalações e atividades da USP a partir do segundo semestre deste ano. Saiba mais...