Estudo apresenta os desafios e as oportunidades para pesquisa de ondas gravitacionais de alta frequência

Ondas eletromagnéticas e ondas gravitacionais são os dois únicos meios de que a humanidade dispõe para o estudo do Universo em larga escala. Mas, durante milênios, apenas o primeiro pôde ser utilizado: das observações astronômicas a olho nu realizadas pelos povos antigos, baseadas na recepção da luz visível, aos supertelescópios atuais, operando em várias faixas do espectro eletromagnético: de rádio a raio gama. Efeitos gravitacionais foram inferidos pelo movimento relativo dos astros.

Por: Agência FAPESP. Acesse aqui a matéria original.


Os resultados da premiação foram anunciados na quinta-feira (09/12), no primeiro dia do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), no Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná.
 
Patrocinado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o prêmio – que homenageia Francisco Romeu Landi (1933-2004), que ocupou o cargo de diretor-presidente da FAPESP entre 1996 e 2004 – é outorgado a pesquisadores cujo trabalho tenha contribuído para o avanço do conhecimento e para o bem-estar da população brasileira nas áreas de Ciências da Vida, Exatas, Humanas, Inovação para o Setor Empresarial, Inovação para o Setor Público e a profissionais de comunicação que, por meio do jornalismo científico, contribuíram para a aproximação entre a CT&I e a sociedade. Os candidatos nas diversas categorias foram indicados por Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) de todo o país. Saiba mais...
 

Ilustração: ondas gravitacionais propagando-se no espaço-tempo/ Nasa/JPL | via Agência FAPESP