Física para Todos

PROGRAMAÇÃO FÍSICA PARA TODOS 2020

O Física para Todos está com a programação PRESENCIAL suspensa. Enquanto isso, nossas palestras serão oferecidas em SALAS VIRTUAIS! Veja abaixo =)

 

 AGOSTO

O QUE NOSSOS CÉREBROS ESTÃO FAZENDO  DURANTE A PANDEMIA? 

Palestrante: Kelly Cristiane Iarosz

08/08, sábado, 10h30. ONLINE pelo ZOOM (para perguntas ao VIVO) ou pelo YouTube.

- Sala Zoom: https://zoom.us/j/93256621039A sala estará aberta a partir das 09h30. São 300 vagas para participação ao vivo.

- Live no YouTube: https://youtu.be/5UH9Dp00NL0

Nossa vida mudou em poucos meses, nossa forma de agir necessitou adaptações rápidas e todos os dias recebemos informações em massa. Mas a maioria das pesquisas realizadas com base em simulações tiveram sua continuidade, e o que nossos cérebros estão fazendo durante a pandemia englobam desde atividades simples como acessar redes sociais até situações complexas como a necessidade da reinvenção pessoal para ser aceito no novo normal. Aprenderemos um pouco sobre os modelos construídos matematicamente e a necessidade de um vocabulário para atingir o público. Ciência é para todos, mas estamos conseguindo nos fazer entender?

 

 


:: EDIÇÕES PASSADAS ::

 

MARÇO

NOSSO CÉREBRO NOS TORNA QUEM SOMOS

Palestrante: Dra. Kelly Iarosz | 07/03 | Biblioteca Mário de Andrade - Rua da Consolação, 94 

A gravação desse evento não está disponível =( 

O cérebro é basicamente constituído por neurônios com diferentes funções, unidos e em constante comunicação. Quando a comunicação deixa de existir por alguma razão, as informações encontrarão uma outra via para chegar ao seu destino. É essa capacidade de reorganização dos caminhos neurais em resposta a novas informações, ambientes, desenvolvimentos, estímulos sensoriais ou danos que especialistas nomearam de neuroplasticidade. Um dos objetivos de estudos na área é entender esse mecanismo de plasticidade cerebral para aplicações futuras na medicina e no dia a dia das pessoas.

Mostramos aos longo dos anos que existem diversos modelos matemáticos para simulações de redes de neurônios (simulação de neurônios e de parte do cérebro humano em computadores). Os interesses pela área são crescentes, campos como neuroaprendizagem e neurosciência computacional vem mostrando-se promissores para estudos interdisciplinares. Casos reais de disturbios neurológicos já podem contar com o apoio de simulações para um diagnóstico mais completo. 

 

ABRIL

ENTENDENDO A FÍSICA NUCLEAR: O QUE APRENDEMOS COLIDINDO ÁTOMOS?

Palestrante: Prof. Leandro Gasques | 25/04 | Perdeu o evento? Confira a gravação abaixo =)

O que acontece no interior das estrelas? Qual a relevância da Física Nuclear na produção de energia? Depois de mais de um século de pesquisa, não há dúvidas que a Física Nuclear desempenha um papel fundamental no entendimento da natureza, respondendo perguntas que tem grande relevância para a compreensão do mundo em que vivemos.

Além disso, ao longo das últimas décadas, a sociedade tem se beneficiado das inúmeras aplicações práticas que tem origem na pesquisa em Física Nuclear. Nesta palestra, discutiremos questões importantes sobre aspectos básicos da Física Nuclear e suas diversas aplicações.


MAIO - 09/05 

FÍSICA QUÂNTICA E NEUROCIÊNCIA, O QUE ESSAS ÁREAS DO CONHECIMENTO TÊM EM COMUM? 

Palestrante: Prof. Sérgio Morelhão | 09/05 | Perdeu o evento? Confira a gravação abaixo =)

Ao tentar entender o átomo, os físicos construíram a mecânica quântica, a mais bem sucedida teoria na história da Ciência e a base de aproximadamente 1/3 da economia global. Tão importante quanto a aplicação, a interpretação da teoria abre caminho para entendermos o impacto da consciência humana na natureza física e seu poder de alterar o futuro. 

A Neurociência busca entender o funcionamento do sistema nervoso dos seres vivos e, principalmente, do cérebro humano. Técnicas não invasivas de análise da atividade cerebral e modelos matemáticos de redes neurais buscam entender como as distintas características comportamentais dos seres vivos emergem da complexidade das redes neurais. Contudo, a mais intrigante questão de todos os tempos ainda permanece. Qual peculiaridade uma rede neural precisa ter para proporcional características humanas como consciência e imaginação?

 

 

MAIO - 16/05 

PORQUE SOMOS BÍPEDES NUS? AS EVIDÊNCIAS QUE A FÍSICA FORNECE

Palestrante: Profª. Lia Queiroz do Amaral | 16/05 | Perdeu o evento? Confira a gravação abaixo =)

A origem da espécie humana é tema de interesse universal, envolvendo crenças, mitos e religiões e também conhecimento acadêmico sofisticado e detalhado, mas que ainda não nos levou a uma visão abrangente da Evolução Humana. Do ponto de vista biológico a espécie humana pode ser classificada como “primata bípede pelado”, ou seja, nossa pele, pelos e nossa forma de locomoção são as características biológicas que nos diferenciam dos demais primatas. O andar bípede pode ser reconhecido nos fósseis, mas as alterações na pele e pelos não deixam registros fósseis, e os motivos que levaram a essas características biológicas são controversos. 

Apresentamos uma proposta inovadora para a evolução biológica inicial, que nos separou dos demais primatas, focalizando a pele humana e o andar bípede. Todos os primatas de nossa linha evolutiva carregam suas crias agarradas aos pelos do corpo da mãe, e a análise das propriedades físicas dos pelos mostra que a sua redução traz a locomoção bípede como consequência direta, diante da necessidade de carregar as crias nos braços. Uma analise detalhada leva a uma melhor compreensão da transição que explica corpo, mente e estrutura social dos Humanos.

 


 JUNHO

ASTROFÍSICA NUCLEAR EM NOVAS, SUPERNOVAS E KILONOVAS

Palestrante: Prof. Valdir Guimarães | 06/06 | A gravação desse evento não está disponível =( 

A astrofísica nuclear estuda a síntese dos elementos e sua relação com a evolução das estrelas e do universo. É, portanto, responsável por tentar responder a questões como esta: Como o Sol, o sistema solar, as estrelas, as galáxias se formaram? Como eles evoluem? Como os elementos da tabela periódica são produzidos nas estrelas? Elementos muito pesados como o ouro e urânio são formados em processos explosivos de supernovas e kilonovas. O processo de kilonova é dado pela colisão de estrelas de nêutrons, onde recentemente foi observado também ondas gravitacionais.

O campo da astrofísica nuclear tem, portanto, um charme intelectual  todo especial por englobar áreas tão variadas da física moderna como Cosmologia, Astrofísica Pura, Astronomia, Física de Partículas Elementares, Física Nuclear e Física Atômica. Vamos nessa palestra abordar esses temas dessa fascinante ciência que é a Astrofísica Nuclear.
 
 

JULHO

DO QUE SOMOS FEITOS E O LHC
 

Palestrante: Prof. Alexandre Suaide | 04/07 Perdeu o evento? Confira a gravação abaixo =)

Do que somos feitos? Qual a nossa origem? Como será o nosso futuro? Estas são algumas das perguntas mais importantes que a humanidade vem se fazendo desde a sua origem. Hoje em dia podemos abordar estas perguntas sob o ponto de vista da filosofia, biologia, química e, também, da física. A física aborda esses assuntos procurando entender como a matéria que compõe o Universo foi formada e como este Universo evoluiu desde sua origem. Procura entender também como esta matéria é constituída na sua forma mais elementar e as relações de interação entre os diversos elementos que a constitui e suas propriedades.

Acontece que, mesmo conhecendo em detalhes a estrutura mais elementar da matéria, ainda há muitas questões em aberto: como o Universo surgiu e evoluiu até os dias de hoje? Porque há muito mais matéria que antimatéria no Universo? Porque as coisas possuem massa? Só existem três dimensões espaciais? As partículas que conhecemos como elementares são, de fato, elementares?

Para tentar responder várias destas perguntas, foi construído o acelerador de partículas LHC (Large Hadron Collider). O LHC pode colidir desde prótons até núcleos de chumbo com 99,9999991% da velocidade da luz. Quando colidem, a energia liberada é suficiente para produzir condições de temperatura e densidade similares àqueles presentes alguns microssegundos após o Big-Bang. Nesta palestra pretendo discutir um pouco como entendemos as estruturas mais básicas do universo, além de como cientistas investigam as suas propriedades de modo a procurar respostas para alguns dos questionamentos mais fundamentais da humanidade.