Colidindo Núcleos Pesados a Altíssimas Energias no LHC

Data de Início: 
quinta-feira, 9 Novembro, 2017 - 15:00
Palestrante: 
Prof. Dr. Marcelo Gameiro Munhoz - IFUSP
Local: 
Auditório Abrahão de Moraes - IFUSP

Inaugurado em 2008, o Large Hadron Collider (LHC) do laboratório europeu CERN vem revelando muitos resultados interessantes sobre o mundo sub-atômico.  Mais conhecido pelas colisões entre prótons, o LHC também é capaz de gerar colisões entre núcleos de chumbo a altíssimas energias, nunca antes atingidas em laboratório. Essas colisões permitem o estudo de diversos aspectos da interação forte, responsável pela atração não apenas de prótons e nêutrons nos núcleos atômicos, mas também entre os quarks, que os mantém confinados dentro dos hádrons. Um dos principais objetivos de se estudar essas colisões é a formação do chamado Plasma de Quarks e Glúons, estado da matéria onde os graus de liberdade são os quarks e os glúons ao invés dos hádrons, e conhecer as propriedades do Plasma de Quarks e Glúons tem implicações muito importantes no entendimento da força forte. Neste colóquio, apresentarei algumas motivações para se estudar essas colisões entre íons pesados, a maneira como isso é feito experimentalmente no LHC e alguns resultados desses estudos, não só do ponto de vista da física como também da tecnologia, dando ênfase aos trabalhos sendo realizados pelo grupo HEPIC do IFUSP.

 

Informações sobre o palestrante: O Prof. Munhoz possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1992), mestrado em Física Nuclear pela Universidade de São Paulo (1995) e realizou doutorado sanduíche em Física Nuclear pela Universidade de São Paulo, Wayne State University e Brookhaven National Laboratory, ambos nos EUA (1998). Foi contratado como Professor Doutor pela Universidade de São Paulo em 2003. Obteve título de Livre Docência pela Universidade de São Paulo em 2009 e atualmente é Professor Associado dessa Universidade. Tem experiência na área de Física Nuclear, com ênfase no estudo de colisões entre íons pesados relativísticos e instrumentação nuclear. Também tem atuado na área de divulgação científica.