Entre Nuvens e Aerossóis: Investigando o Twilight Zone

Data de Início: 
quinta-feira, 8 Novembro, 2018 - 16:00
Palestrante: 
Prof. Dr. Alexandre Correa - IFUSP
Local: 
Auditório Abrahão de Moraes do IFUSP

 

Nuvens são importantes agentes climáticos por refletirem uma fração significativa da radiação solar de onda curta que atinge a Terra. Elas também absorvem e emitem radiação de onda longa terrestre, sendo desse modo determinantes para o equilíbrio energético do planeta. Devido à sua natureza complexa, com fortes interdependências de outras partes do sistema climático terrestre, as nuvens constituem hoje o fator mais incerto em modelos climáticos globais. Simplesmente não será possível melhorar as previsões climáticas futuras sem antes se compreender os processos físicos que determinam a termodinâmica de formação, crescimento e dissipação de nuvens. Em nível microscópico, a condensação de vapor d’água para a formação de gotas de nuvem depende da existência, da concentração, e de características físico-químicas de partículas de aerossóis na atmosfera, com faixa de tamanhos de centenas de nanômetros a micrômetros. Há décadas se sabe que não há um limite físico que defina com clareza uma separação conceitual entre aerossóis e nuvens. Denomina-se o “contínuo” ou o “Twilight Zone” essa região de transição gradual entre aerossóis e nuvens observada na atmosfera. Ainda assim, todas as ferramentas atuais nessa área de pesquisa, sejam elas instrumentos de medida in-situ, sensores à superfície ou embarcados em satélites, ou ainda códigos computacionais para simulações da atmosfera, são desenhadas pressupondo-se uma divisão dicotômica entre aerossóis e nuvens que não é amparada por resultados experimentais. Nesta apresentação discutirei algumas consequências dessa disparidade, em que condições ela é mais significativa, e mostrarei como estamos nos organizando para avançar na pesquisa de propriedades físicas do Twilight Zone.

 

Sobre o palestrante: é Bacharel em Física pela Universidade Estadual de Campinas (1994), Mestre em Física (1998) e Doutor em Física (2003) pela Universidade de São Paulo, com Pós-doutorados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE, 2004-2006), e pela National Aeronautics and Space Administration, Goddard Space Flight Center (NASA GSFC, 2007-2009). Tem experiência em Física Atmosférica, com ênfase em sensoriamento remoto da atmosfera e interações entre aerossóis e nuvens.

 

Palavras-chaves: agentes climáticos, partículas de aerossóis, Twilight Zone

 

Transmissão via IPTV 

https://iptv.usp.br/portal/transmission.action?idItem=39882