Física Atmosférica

Alexandre Lima Correia

  1. Estudo da interação entre a radiação solar, aerossóis atmosféricos e nuvens, com o objetivo de avaliar seu impacto sobre o clima e as Mudanças Climáticas no Brasil e no mundo.
  2. Interações entre a fumaça emitida em queimadas na Amazônia e nuves, avaliando o impacto de aerossóis sobre a microfísica de nuvens e sobre a precipitação.
  3. Utilização de sensores a bordo de satélites, radiômetros em solo, e instrumentação de aerossóis embarcada em aeronaves de pesquisa em experimentos na Amazônia para estudos da influência de aerossóis e nuvens sobre o clima.


Henrique de Melo Jorge Barbosa
Busca entender qual o papel do vapor de água e das nuvens no sistema climático e como eles podem ser alterados devido a influências antrópicas, especialmente através das partículas de aerossóis. Tem interesse especial em transporte de umidade e na importância da Amazônia para a reciclagem da umidade e para as chuvas em outras regiões da América do Sul. Aplica redes complexas e outras ferramentas de sistemas dinâmicos para entender processos o acoplamento biosfera-atmosfera. Também trabalha com modelos numéricos em diferentes escalas, de parcela de nuvens a modelos do sistema terrestre.


Paulo Eduardo Artaxo Netto
No Laboratório de Física Atmosférica estudamos processos associados com a interação entre partículas de aerossóis atmosféricos e o balanço de radiação, tanto regional quanto global. Estudamos os efeitos climáticos globais de partículas de aerossóis, alem de estudarmos seu impacto em escalas regionais e locais.  Investigamos também os processo envolvidos em microfísica de nuvens e seus efeitos nos processos de geração e desenvolvimento de nuvens e a formação de precipitação. Analisamos os processos biogeoquímicos envolvendo partículas de aerossóis na Amazônia, ou seja o impacto de aerossóis nos ciclos biogeoquímicos de carbono, fósforo, nitrogênio e outros nutrientes. O transporte a longa distancia de poeira do Sahara para a Amazônia é também observado e quantificado.
Questões acssociadas à física da poluição do ar urbana são estudadas na Região Metropolitana de São Paulo visando a quantificar processos físicos que regulam a concentração de poluentes na atmosfera. Buscamos contribuir para a definição de estratégias de redução de emissões de poluentes atmosféricos, em particular no setor de transporte urbano, queimadas na Amazônia e outros.