Sistemas Complexos

Airton Deppman
A linha de pesquisa principal se concentra na área de Física Nuclear em energias intermediárias e altas (de 40 MeV a 15 TeV). Essas atividades são realizadas no Brasil, em colaboração com pesquisadores do Rio de Janeiro-RJ e de Ilhéus-BA, e na Suiça, através da colaboração ALICE, no Large Hadron Collider (LHC). A ferramenta principal, nos dois casos, são códigos computacionais que usam o método de Monte Carlo para simular processos físicos.
No Brasil, desenvolvemos o código CRISP, que simula reações nucleares induzidas por fótons (reais ou virtuais) ou barions (protons ou neutrons) nas faixas de energia citadas acima. Aqui, tanto os fundamentos básicos da Física Nuclear e de Partículas são estudados, quanto aplicações em Física de Reatores e Física Médica são exploradas.
No LHC, colaboramos com o desenvolvimento de métodos de análise e identificação de partículas, com análise de dados e estudo de modelos para explicar os fenômenos observados. O objetivo principal é estudar o plasma de quarks e gluons, estado da matéria formado nas colisões entre íons pesados ultra-relativísticos.
Além dessas duas linhas principais, também desenvolvemos outras pesquisas onde a Física Nuclear ou o Método de Monte Carlo podem ser aplicados. Atualmente estudamos o comportamento de moléculas de RNA que evoluem sob diferentes condições, observando o fluxo de informação para dentro do sistema durante esse processo evolutivo.


Carmen P. C. Prado

  1. Aplicações de técnicas numéricas e analíticas desenvolvidas no estudo de sistemas dinâmicos não lineares, caos e mecânica estatística ao estudo da dinâmica de terremotos, problemas de interesse biológico (crescimento de tumores e ecologia), sociofísica (problemas de interesse sociológico), análise de séries temporais. 
  2. Mecânica estatística de redes complexas.

 

Nestor Felipe Caticha
Teoria de informação e interação de agentes que processam informação. Desenvolvimento e análise de algoritmos de aprendizagem. Limites de desempenho. Com aplicações em: 

  1. modelagem de dinâmicas de opiniões em sociedades;
  2. dinâmica evolucionária; 
  3. modelagem de sistemas neurais biológicos, sistemas sensoriais periféricos; 
  4. processamento de dados em aplicações a imagens funcionais por Ressonância Magnética (fMRI).



Renato Figueiredo Jardim
Atuação em Física da Matéria Condensada Experimental e nas seguintes áreas:
  1. Produção de de Óxidos Supercondutores de Alta Temperatura Crítica e Estudo de suas Propriedades Magnéticas e de Transporte; 
  2. Estudo das Componentes Intergranulares de Óxidos Supercondutores com Vistas a Aplicações Tecnológicas;
  3. Estudo da Transição de Fase do Tipo Metal-Isolante e Isolante-Supercondutor em Óxidos de Base Cu e Ni; 
  4. Produção de Sistemas de Nanoparticulas Magnéticas e Estudo de suas Propriedades Físicas;
  5. Novos Materiais Magnéticos para Aplicações em Catálise;
  6. Estudo de Novos Materiais Óxidos com Propriedades Magnéticas Não Convencionais.
     


Sylvio Roberto Accioly Canuto
Física da Matéria Condensada, Física Atômica e Molecular, Modelagem Molecular
Estrutura eletrônica de moléculas, biomoléculas e clusters. Simulação computacional e propriedades de líquidos moleculares. Efeitos de solvente em propriedades e espectroscopia. Forças intermoleculares e ligações de hidrogênio. Aplicação de simulação Monte Carlo, Dinâmica Molecular e teoria quântica de muitos corpos. Propriedades elétricas e magnéticas de moléculas e sistemas supercríticos. Desenvolvimento de técnicas de algoritmos. 
Sua especialidade está em Teoria de Muitos Corpos, Simulação Computacional e Modelagem Molecular, com ênfase no estudo de efeitos de solvente em espectroscopia e reatividade de moléculas e biomoléculas em meio líquido, água em especial. Interesse também em propriedades elétricas e magnéticas de moléculas e sistemas supercríticos. 

 

Tânia Tomé Martins de Castro
Dinâmica estocástica. Aplicações: modelos estocásticos e espacialmente estruturados para descrever sistemas de interesse biológico (dinâmica de populações biológicas).